Somos Escola

Somos Escola

Apoiar o desenvolvimento acadêmico, científico e tecnológico faz parte da nossa essência, impulsionamos transformações positivas por meio de milhares de estudantes, professores, pesquisadores, colaboradores, cientistas e sociedade. Com atendimento, suporte personalizado, estrutura única e pioneira no país, a Fundação Arthur Arthur Bernardes, por meio de suas três Unidades de Negócios (Unidade de Projetos, Supermercado Escola e Laticínio Escola), permite que a ciência e o desenvolvimento do país aconteça expandindo horizontes e formando além de profissionais brilhantes, pessoas que terão um olhar sensível para a sociedade. 

 

Ser Funarbe é ser Escola!

0
alunos atendidos anualmente
0
estagiários anualmente
0
trabalhos acadêmicos anualmente
0
disciplinas ministradas

Aqui você encontra os procedimentos para contratação de estagiários na Funarbe:

  • Após preencher o formulário de solicitação de estágio deverá encaminhá-lo como arquivo anexo para o email do gestor do convênio.
  • A Funarbe verificará os dados que constam no pedido e, estando corretos, encaminhará o Termo de Compromisso de Estágio preenchido para o mesmo email de origem do pedido para que sejam recolhidas as assinaturas.
  • Em nenhuma hipótese, a data de início do estágio poderá ser anterior à data de inclusão do estagiário no seguro contra acidentes pessoais. O período de duração de estágio não poderá ultrapassar 2 (dois) anos, salvo se o estagiário for portador de deficiência. Para a contagem do referido período de duração do estágio considera-se a relação entre o estagiário e a Funarbe independentemente do projeto no qual este teria sido contratado.
  • Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular. É condição sine qua non para a caracterização do estágio a adequação das atividades exercidas à área de estudos do estagiário.
  • O estágio poderá ser obrigatório ou não-obrigatório. Estágio obrigatório é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma. Estágio não-obrigatório é aquele desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória. As atividades de extensão, de monitorias e de iniciação científica na educação superior, desenvolvidas pelo estudante, somente poderão ser equiparadas ao estágio em caso de previsão no projeto pedagógico do curso.
  • Em se tratando de estágio na modalidade “obrigatório”, o estudante deverá enviar o comprovante de matrícula na disciplina denominada “estágio supervisionado”, anexado ao Termo de Compromisso de Estágio.
  • A jornada de estágio não poderá ultrapassar 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais, no caso de estudantes do ensino superior, da educação profissional de nível médio e do ensino médio regular.
  • O coordenador do Convênio deverá assegurar o gozo do período de recesso (férias) estabelecido no Termo de Compromisso de Estágio dentro do período de realização do estágio.
  • A cada 6 (seis) meses, o estagiário deverá preparar um relatório de atividades, em 3 (três) vias, as quais serão assinadas pelo Supervisor e pelo Professor Orientador do Estágio e entregue à Instituição de Ensino e à Funarbe para arquivamento, sob pena de suspensão da bolsa-auxílio.
  • O estágio não poderá ser concedido quando houver relação de parentesco do estudante com o supervisor do estágio ou com o coordenador do convênio, assim entendidos: cônjuges, companheiros ou parentes em linha reta, colateral ou por afinidade, até terceiro grau. A previsão legal está na Súmula Vinculante nº 13/2008 e no art. 12, II, da Resolução nº 08/2012 do CONSU/UFV.

Arquivos para Downloads

O Programa Acelera é uma iniciativa para desenvolvimento dos estagiários para além de suas atuações diárias relacionadas a suas áreas acadêmicas. Por meio de um espirito colaborativo, nossos estagiários trocam conhecimento a respeito de diversas temáticas, possibilitando um aprendizado contínuo e coletivo. Além disso, por meio de projetos, conduzidos pelos próprios estagiários, eles atuam diretamente em ações que visão o crescimento e desenvolvimento estratégico da Fundação, em suas Três Unidades de Negócio. Acreditamos que o conhecimento é rico, potente, transformar e expande horizontes.

Quero Ser Estagiário Funarbe

No caso de estudantes que desejam se desenvolver em nosso Programa de Estágio em uma de nossas três Unidades de Negócio e Centro de Serviços Compartilhados, disponibilizamos anualmente o nosso Banco de Estágio, onde coletamos currículos de estudantes a partir do 3º período de mais de 15 cursos do Ensino Superior. Conforme novas oportunidades surgem, entramos em contato com esses estudantes para convidá-los a nossos Processos Seletivos.

Possuímos um e-mail exclusivo para recebimento de currículos: [email protected] Recomendamos que utilize o campo do Assunto para preenchimento do “Curso, Período e Nome”, a fim de facilitar a organização do Banco. 

Nós carregamos no peito o compromisso em contribuir com a sociedade, possibilitando a ela um desenvolvimento sustentável por meio de diversas ações já praticadas. E, por isso, em janeiro de 2022, concretizamos o nosso Programa Aprender, Jovem Aprendiz Funarbe!

Ser um Jovem Aprendiz é aprimorar-se constantemente. São jovens e adolescentes que almejam desenvolvimento e crescimento profissional, dentro de uma área de atuação especifica, valorizam a educação e, principalmente, desejam realizar sonhos. É a descoberta de oportunidades e a possibilidade de inserção no mundo do trabalho.

A Funarbe mantém parceria com duas instituições “Rede Cidadã” e “Senac” para promoção da capacitação destes jovens, de acordo com a Lei 10.097/00. Por meio dessa preparação teórica, os jovens desenvolvem habilidades que atendem as demandas das mais diversas áreas da Fundação, administrativas e operacionais, onde poderão colocar em prática os conhecimentos adquiridos. Hoje, nossos jovens atuam em nossas três Unidades, Unidade de Projetos, Supermercado Escola e Laticínio Escola, além do nosso Centro de Serviços Compartilhados. 

A carga horária dos jovens é de 20h semanais, 4h diárias, sendo um dia na instituição parceira para capacitação teórica. Além disso, a duração do contrato varia a depender da parceria firmada entre a instituição, de 1 ano a 2 anos.

Para se inscrever nas vagas de 2024, cadastre o currículo do jovem até 17/12/2023 pelo site vagas.funarbe.org.br e clique em “candidatar-se” na vaga “Jovem Aprendiz 2024”. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo WhatsApp (31) 3899-7357.

A FUNARBE apoia as atividades de ensino, de pesquisa e de extensão da Universidade Federal de Viçosa. Este amparo se manifesta por meio de ações concretas, como a gestão de convênios e contratos, gestão do Laticínio e Supermercado Escola e o lançamento e a manutenção de programas de incentivo: Funarbic, Funarpeq, Funarpós, Funarbex e Funarben, além do apoio a eventos, congressos e seminários e outras atividades de extensão.

Conheça:

Em dezembro de 2012 a Funarbe lançou o Prêmio Funarbe de Reconhecimento em Pesquisa, com o objetivo de premiar pesquisadores que contribuem de forma expressiva para o desenvolvimento acadêmico-científico da Universidade Federal de Viçosa (UFV). O objetivo era destacar este pesquisador como referência profissional na comunidade acadêmica, ressaltando a sua importância e comprometimento na captação de recursos e produção científica de alto padrão na UFV.

Conheça os premiados nas edições anteriores:

2020 - Professor Sebastião de Campos Valadares Filho

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1977), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1981) e doutorado em Zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1984). Em 1998 concluiu estágio de pós-doutorado no USDFRC, Madison- USA.

Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Viçosa e Bolsista 1A do CNPq. É Consultor ad hoc de vários periódicos internacionais e membro do conselho editorial da Livestock Science. Foi chefe do Departamento de Zootecnia no período de fevereiro de 1999 a fevereiro de 2003, e novamente de janeiro de 2009 a março de 2013.

Participou do Comitê Assessor do CNPq na área de Veterinária e Zootecnia no período de setembro de 2003 a agosto de 2006, sendo coordenador do CA em 2005-2006.Participou como membro da câmara de Zootecnia e Veterinária da FAPEMIG, de fevereiro de 2006 a fevereiro de 2010, sendo Coordenador da câmara CVZ no ano de 2009.

Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFV de março de 2003 a dezembro de 2008 e novamente a partir de 2020. Foi coordenador do INCT de Ciência Animal aprovado em 2008, com vigência até 2016, e novamente coordenador da segunda edição do INCT de Ciência Animal, com vigência de 2016-2022.

Recebeu o prêmio de Orientador da melhor tese de Zootecnia nos anos 1997, 1998 e 2000, concedido pela Sociedade Brasileira de Zootecnia. Em 2005 recebeu a Medalha de Ouro Peter Henry Holfs, concedido pela Universidade Federal de Viçosa. Em 2006 recebeu o prêmio Zootecnista do ano, concedido pela Sociedade Brasileira de Zootecnia. Em 2007 recebeu o Prêmio Scopus, concedido aos 15 pesquisadores de destaque Nacional na Produção Científica de diversas áreas do conhecimento, Editora Elsevier/ Capes. Em 2016 recebeu o prêmio Bunge, Nutrição e Alimentação Animal, na categoria Vida e Obra.

2018 - Professor Acelino Couto Alfenas

Engenheiro Florestal (1974) e mestre em Fitopatologia (1978) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), possui Ph.D. em Patologia Florestal pela Universidade de Toronto, Canadá (1983). Atualmente, é professor titular do Departamento de Fitopatologia da UFV e, desde 1999, é Bolsista de Produtividade em Pesquisa, nível 1A, do CNPq, membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e sócio fundador da Clonar Resistência a Doenças Florestais dos cursos de pós-graduação lato sensu a distância, AgroPos. Tem experiência na área de Etiologia, Epidemiologia, Controle de Doenças Florestais e Clonagem de Plantas, especialmente de espécies arbóreas. Ultimamente, dedica seus estudos sobre a Base Genética da Resistência das Interações Patógeno-Hospedeiro, Variabilidade Genética de Populações de Patógenos e seus respectivos hospedeiros, visando à minimização de riscos de perdas por doenças em plantações florestais e outras culturas como a da manga e do kiwi e o desenvolvimento de kits diagnósticos de patógenos florestais.

2016 - Professor Raul Narciso C. Guedes

Agrônomo e mestre em Entomologia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), doutor em Entomologia pelaKansas State University (KSU;EUA ) e com estágios pós-doutorais na Inglaterra, EUA e Canadá. É bolsista 1 A do CNPq e professor titular da UFV. É Fellow da Royal Entomological Society (Inglaterra) e Distinguished Alumnus da KSU. Integra o Comitê Permanente da International Working Conferece on Stored Product Protection, a Câmara de Biologia Aplicada da Fonds Wetenschappelijk Onderzoek (FWO; Bélgica) e o Conselho Editorial dos periódicos PLoS ONE, Pest Management Science, Journal of Stored Products Research e Journal of Economic Entomology. Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Entomologia, Diretor-Científico da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), membro da Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica Agrícola e do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFV.

2014 - Professor Marcos Heil Costa

O professor possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa, mestrado em Meteorologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa e doutorado em Ciências Atmosféricas e Oceânicas pela Universidade de Wisconsin – Madison. Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Viçosa. Foi professor visitante da Universidade de Wisconsin-Madison, e foi coordenador-geral de Mudanças Globais de Clima do Ministério de Ciência e Tecnologia. Foi editor associado do Earth Interactions e da Revista Brasileira de Meteorologia, e atualmente é membro do corpo editorial e editor associado da Agricultural and Forest Meteorology. Criou o doutorado em Meteorologia Agrícola na UFV, onde ministra as disciplinas Modelagem de Sistemas Ambientais, Hidroclimatologia e Mudanças Climáticas e Impactos na Agricultura. Orientou ou co-orientou 31 estudantes de mestrado e doutorado. Publicou 80 artigos científicos, tendo sido citado mais de 1800 vezes, com índice h = 21. Bolsista de produtividade em pesquisa 1B do CNPq. Tem experiência na área de Climatologia, estudando as interações atmosfera-biosfera-hidrosfera-agricultura, modelagem numérica, e mudanças climáticas globais.

2012 - Professora Elizabeth Pacheco Batista Fontes

Graduada em Engenharia e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa, possui mestrado em Bioquímica de Alimentos/ Ciência de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa e doutorado em Biologia Molecular pela North Carolina State University (EUA). Atualmente é professora titular da Universidade Federal de Viçosa e coordenadora do INCT em Interações Planta-Praga. A pesquisadora tem experiência na área de Bioquímica e Genética Molecular, com ênfase em Biologia Molecular de Plantas e Genômica Funcional, atuando principalmente nos seguintes temas: interações geminivírus-hospedeiro e mecanismos de resistência, sinalização celular, respostas a estresses típicos do retículo endoplasmático e a estresse hídrico.

Buscando estimular a difusão do conhecimento, apoiamos e patrocinamos eventos de caráter científico, tecnológico e cultural promovidos por órgãos vinculados à UFV. Para isso, visamos contemplar aqueles cujas temáticas trabalhem questões como incentivo ao desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação, sustentabilidade ambiental, responsabilidade social, diversidade e inclusão, promoção da cidadania, incentivo à educação, benefícios para a comunidade acadêmica e para a sociedade, e consumo sustentável.

O edital do primeiro semestre de 2024 está com inscrições abertas até 10 de março de 2024 às 18h. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail [email protected]

O Conecta Funarbe teve sua primeira edição em 2020, visando ser um espaço para promoção do desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação por meio do compartilhamento de experiências com especialistas no assunto. 

Confira como foi a nossa última edição:

0
participantes
0
palestrantes

Contamos com ambientes acadêmicas disponíveis para universidades públicas e privadas, na qual com estrutura única no país, alunos, professores e pesquisadores possuem acesso exclusivo a salas de aulas práticas com equipamentos de ponta que simulam ambientes de produção, salas de aulas teóricas alinhadas a sistemas de gestão acadêmica da Universidade Federal de Viçosa, ambientes para visitas técnicas e desenvolvimento científico, além de todo suporte oferecido por nossos colaboradores para aulas de gestão das melhores práticas de mercado nas mais diversas áreas de educação. Para ter acesso à nossas estruturas acesse os links abaixo e preencha sua solicitação.

Para melhor compreensão da capacidade e detalhes da estrutura e procedimentos, acesse nosso manual de normas acadêmicas: